Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Jornada23

Uma portuguesa a viver em terras de sua Majestade desde 2014.

Jornada23

Uma portuguesa a viver em terras de sua Majestade desde 2014.

Tic Tac - Adeus casa

Adeus minha casinha, adeus minha casinha de bonecas que quase não dava para nos mexer ou fazer grandes mudanças.  Contigo passámos muitos bons e também maus momentos! Tivemos família a visitar-nos, tivemos encontro de amigos, tivemos dias de dança, jogos e filmes mas também tivemos maus momentos. Esta casa albergou sorrisos e choros, idas e voltas, boas vindas e despedidas. 

Tenho à minha frente quatro sacos e é isso. O resto já foi ontem para casa dos conterrâneos. Agora estou à espera de alguém da agência, para vir ver o estúdio e poder devolver o depósito, está quase...e eu nao me quero emocionar porque ainda agora a jornada começou .

 

20181015_085000.jpg

 

15395926470951630458180.jpg

 

95340.jpg

 

 

Os meus pais estão

a um passo de me excluir do agregado familiar. Já não bastava a última vaga de coisas que enviei que me deixou a casa quase vazia, o bolso quase vazio e a casa dos meus pais a abarrotar por todos os lados como descobri que.... fiz mal os cálculos e ainda preciso enviar dois ou três sacos de 20 kg....A minha mãe só se ria por videochamada,  penso que por nervosismo e com vontade de me esganar. 

E não, não sou acumuladora ( tal como a minha mãe) estou apenas a mudar de PAÍS  passados 5 anos onde se acumula muuuuuita coisa.

Pelo menos acho estar apta a um curso qualquer de nome " Como mudar de um T0 para um T3  e já ter todas as divisões a abarrotar de tralha" 

(eu tenho perfeita noção que vou passar dias e dias a abrir sacos, saquinhos e caixotes )

 

19570ba2c29fbf83c95184ec95435661.png

 

Tic Tac

Chegaram! As coisas - quase - todas da nossa casa chegaram a Portugal e desta vez foi tão rápido! O meu irmão nem tinha muitos comentários quando viu a quantidade de coisas ( e o peso!) que tinha que carregar para dentro de casa! Para a semana envio o último saco de todos e até ao último dia temos que apenas e somente ocupar 2 malas de porão e 2 de mão  sendo que nestas malinhas tem que caber tudo para que nada nos falte nas próximas 4 semanas...Positividade!

Tudo a seu tempo

frases-de-indiretas-09-.jpg

Quero acreditar que tudo acontece quando tem que acontecer. Quero acreditar que quando decidimos que seriam só mais 6 meses em Londres era porque tinha que ser. Quero acreditar que agora é a altura ideal para voltar, que os que estão em Portugal precisam de nós mais do que nunca. Quero acreditar que os que cá ficam, ficarão bem com a minha ausência. Que irão sentir a minha falta mas conseguirão lutar, arranjar modo de ultrapassar, que bastará um telefonema no início todos os dias, depois dia sim dia não para conseguirmos abafar a saudade.

Tudo o que mais queria era ir embora de Londres antes mesmo de me acostumar ao país....esqueci-me foi de como seria com as pessoas que deixo para trás. Lojas, locais, poder de compra é supérfluo, pessoas não.

Quero acreditar que tudo tem o seu tempo e quero ser grata por tudo o que consegui tirar partido destes quase 5 anos em Londres.

Ah, coração! Aguenta, aguenta.

Voltar para Portugal - carta de despedimento

Terça feira tivemos uma reunião de equipa, uma daquelas chatas em que durante uma hora falamos de temas que até são importantes mas depois temos intervenções da equipa desnecessárias. O último tópico da lista era eu. O meu chefe pediu-me para informar os meus colegas, pedi-lhe de volta que o fizesse por mim. Os meus colegas ficaram chocados a olhar para min "como assim vais voltar para Portugal?", enquanto o meu manager fazia um dos seus discursos a conterrânea chorava ( diz ela por estar grávida e sensível ...não me enganas!), e eu arrepiava-me mas ao mesmo tempo sem ainda cair na realidade. 

Ontem entreguei a minha carta de despedimento - 4 de Novembro será o meu último turno, exactamente daqui a um mês.

Acho que estou farta de dizer o mesmo, mas ainda não me apercebi do que se está a passar, o meu cérebro e coração ainda não entenderam bem o que vai acontecer.  Dia 14 de Outubro vamos sair desta casa, vamos viver com os conterrâneos por 4 semanas, depois dia 4 de Novembro vou estar a sair do último turno, dia 11 Novembro será o baby shower do meu sobrinho de coração e dia 13 Novembro a partida.... quando irei eu cair na realidade? No último jantar? No último turno? No último abraço? No avião? Chegando a Portugal? Passados um ou dois meses quando me aperceber que não são só férias?? 

 

quit-my-job.jpg

 

Mais sobre mim

Pesquisar

 

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.