Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Jornada23

Uma portuguesa a viver em terras de sua Majestade desde 2014.

Jornada23

Uma portuguesa a viver em terras de sua Majestade desde 2014.

Encomenda a caminho!

eb9e1f2d042f9b0a5f57f423c6bfea88.jpg

A imagem é apenas ilustrativa mas sim, representa bem aquilo que aconteceu ontem. Acabei de enviar 2 televisões, 1 congelador, 1 cadeirão com o peluche gigante e 7 sacos cheios de tudo, roupas, pertences, memórias. Os  pertences chegarão a Portugal primeiro do que nós e nestas últimas duas semanas no studio vamos andar perdidos, porque estará tudo vazio. Daqui a duas semanas partimos, mas ainda não para Portugal. Partimos para a casa dos conterrâneos e lá ficamos 4 semanas até ao nosso último dia. Uff... não posso pensar, só quero que tudo corra bem! 

Reencontro

vitor_szpoganicz_o_mais_legal_da_vida_e_reencontra

 Nós fomos como unha e carne durante um dos períodos mais exaustivos da nossa vida : a faculdade. 

Nós juntámos as capacidades uma e da outra e fomos capazes de nos apoiar nos bons e maus momentos, nos mais stressantes e nos outros tantos. Estavamos lá, 5 dias por semana, durante aulas e estágios sempre a apoiar. Ela foi sem dúvida a pessoa que marcou a minha fase universitária mas como é normal o mundo atirou-nos de volta para as nossas cidades e, no meu caso, para Inglaterra. 

A distância fez com que deixassemos de falar tanto, ocasionalmente havia uma conversa ou outra apenas. Quando ela me disse que vinha a Londres quis ir vê-la , estar um pouco com ela que seja. 

Sabem quando vocês não vêem uma pessoa à anos , neste caso 6 anos, e não sabem o que esperar ?? Será que somos as mesmas ? Que as nossas conversas vão fluir com antigamente ? Que ainda temos algo em comum? 

Isso tudo se foi nos primeiros segundos, continuamos igual, apenas com mais histórias de vida para partilhar, e soube bem revê-la e poder estar de novo com alguém que já esteve tão presente na minha vida.

 

2 anos depois

Digo-te adeus e acompanha-me um sentimento misto. Por um lado vivi tanta coisa dentro desta casa, foi a nossa primeira casa, onde lutámos com os primeiros ajustes de viver juntos e com as primeiras mazelas de viver no estrangeiro. Viu-me celebrar os 24 e os 25 anos e os 22 e 23 anos do príncipe. Presenciou dois natais, muitos jantares e almoços com família e amigos, muito karaoke e dança descodernada pela casa. Ouviu muitas gargalhadas e choro também. Deu-nos alegria mas de igual modo problemas. Foi nossa e sempre será.

20160318_201830.jpg

 

20160318_201820.jpg

 

Mudança

Hoje é dia de mudança. Ora não sei se estava demasiado nervosa ( não sei bem do quê ), ou se foi o facto do príncipe estar doente e não parar de se mexer na cama, mas o facto é que só dormi agora, das 7 as 9h... Irra que eu não sabia que éramos capazes de acumular tanta coisa num studio ao longo de 2 anos! Wish me luck, hoje o dia vai doer!

0e1a044f-b332-4189-be0f-ff709add096a_LARGE.png

 

Jornada 23 - o início!

Ora aqui inciamos um novo capítiulo!

 

Este blog nasceu da necessidade em manter presente as várias fases, desabafos e acontecimentos de um casal português que parte para Inglaterra. Eu, a escritora da jornada 23, e ele, o príncipe.

 

Não sei qual será o destino deste blog, que tipo de conteúdo vai ter, é tudo uma incógnita! Todas as nossas vivências e experiências em mudar de país vão estar aqui, e será esta a maneira de podermos voltar atrás e observarmos tudo aquilo por que passámos.

 

Vai ser uma jornada emocionante, a jornada 23. Vai mudar as nossas vidas, de um modo ou de outro. Vamos fazer para que tudo corra bem e isso, acho eu, já vale muito! Estarmos motivados para viver esta nova vida é um passo gigantesco, temos a noção (ou não) do que vem ai e temos a noção que os primeiros tempos vão ser duros. Será um país totalmente diferente de Portugal, a língua, o clima, a comida, os hábitos, tudo muda. Mas se nos mantermos concentrados naquilo que queremos perseguir e atingir para nós, o desânimo é menos certo. E se continuarmos esta jornada a apoiarmo-nos tudo será mais fácil!

 

Vai custar. Quando partirmos vou levar metade de mim a sorrir – porque é isto que quero, com a pessoa que amo e que sei que será o melhor para nós neste momento – e outra metade a chorar – porque não podemos simplesmente negar que deixar tudo o que sempre conhecemos deixa saudade, causa medo, custa e dói cá dentro.

 

Dizem que a nossa terra é a nossa terra, não há comparação, também não há comparação entre Inglaterra e Portugal é a verdade. Cada qual tem a sua beleza, e cada qual tem os seus prós e contras. Vou estar a apostar muito nesta ida, mas iria ficar tão mais arrependida se não tivesse tido a coragem de fazer as malas com o príncipe e ir embora. Penso que o fato de estarmos mais do que motivados é algo, não? Pelo menos sabemos que é algo que desejamos imenso, e quando desejamos algo por norma lutamos para a conquistar.

 

 

 

 

 

 

 

Mais sobre mim

Pesquisar

 

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.