Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Jornada23

Uma portuguesa a viver em terras de sua Majestade desde 2014.

Jornada23

Uma portuguesa a viver em terras de sua Majestade desde 2014.

Um melhor amigo

dog-quotes-paw.jpg

 

Alguns dias lembro-me de ti mais do que outros. A verdade e' que nao deixas-te de estar no fundo do meu telemovel. Tu nao foste apenas um cao que esteve na minha vida durante 17 anos, tu eras o CAO. O melhor amigo, o que viajou connosco por inumeras vezes, o que me vinha visitar ao quarto apenas depois da mama ir para o trabalho porque sabias que ela nao te queria ver nos quartos. Lembro-me perfeitamente uns dias antes de vir para Londres tu vieste ao quarto e deitaste-te ao meu lado, ficaste la' bastante tempo, mais do que o normal a pedir mimos. Lembro-me quando voltei para ferias, tu lembraste-te logo de mim...mas o tempo comecou a passar por ti e se antes ja' davas sinais de cao idoso agora estavas pior. Quando voltei ja nao me reconhecias logo, so' passadas umas horas. Ja' nao te levantavas muito do sofa', ja' a tua visao estava muito afetada, eu sabia que mais tarde ou mais cedo quando eu voltasse nao irias la' estar, era por isso que chorava quando me despedia de ti. 

Em 2016 , uma semana antes de ir a Portugal recebi a chamada de video da minha mae, ela so' me disse "Tenho uma noticia para te dar". Foi o suficiente, chorei bastante, eras um melhor amigo que nem precisava de falar para o ser. 

Desde 1999 fomos companheiros. Aquelas brincadeiras nossas, o teu mau feitio de vez em quando, os teus pelos fofinhos que mais parecias um peluche, as vezes que te abracei enquanto chorava, o teu ladrar atrevido quando pensavas ser um cao gigante e quando na verdade eras um pequenino. Os vizinhos e pessoas a passar na rua a perguntar "E' um brinquedo a janela?". O meu amigo, meu amor. 

Hoje sou cada vez mais uma apaixonada por animais, especialmente caes mas nenhum te substitui, alias nenhum substitui o outro. Irei sempre amar-te , mesmo quando na minha casa estiver outro "tu" a correr pela casa! 

 

2017/2018

29033-newyear-new-year-gold.1200w.tn.jpg

2017 pareceu curto, passou rápido...muito mais do que os anos anteriores. 

Foram feitas mais ou tantas viagens a Portugal como o ano passado, o que acabou por ser bom para tratar de assuntos e matar saudades. Apenas viajei para a Bélgica para estar com a família, ao contrario do ano passado que passei por Espanha e Marrocos. Mantive o trabalho onde estou, melhorei profissionalmente e fui capaz de demonstrar as minhas capacidades enquanto profissional não só aos meus colegas como chefia. Passei a ter a conterrânea a trabalhar comigo de novo - juntas mais uma vez. Eu e o príncipe conseguimos riscar um objectivo da lista o outro quase que foi feito antes do ano, vai acabar por ser em 2018. 

 

2018 ira trazer muito, espero. O desejo e de mudança para este ano, muita mudança mesmo! Mudança que nos ira assustar mas em termos de realização pessoal ira trazer muitos benefícios. Mais um objectivo a riscar a lista logo no inicio do ano e o resto espero que venha por acréscimo. Este ano planeiam-se viagens, algumas para riscar mais uns objectivos da lista. Esperam-se menos viagens para Portugal, mas por bons motivos. Esperam-se melhorias no trabalho e quem sabe crescimento. 

Espera-se um ano novo. Cheio de conquistas 

Folga

Ontem foi dia de folga e, para não variar, o descanso foi escasso. Troquei o norte pelo sul de londres e fui a casa de uma amiga do secundário. Ela é, sem sombra de dúvida, uma inspiração pelo que já conseguiu conquistar em londres e deu-me um pouco da motivação que precisava!! Foi uma tarde de gargalhadas e recordações de boas memórias!

20150603_133548.jpg

 

Amigos

Este é, para mim, o melhor texto a caraterizar o sentimento de amizade. 

 

"Os amigos nunca são para as ocasiões. São para sempre. A ideia utilitária da amizade, como entreajuda, pronto-socorro mútuo, troca de favores, depósito de confiança, sociedade de desabafos, mete nojo. A amizade é puro prazer. Não se pode contaminar com favores e ajudas, leia-se dívidas. Pede-se, dá-se, recebe-se, esquece-se e não se fala mais nisso.

A decadência da amizade entre nós deve-se à instrumentalização que tem vindo a sofrer. Transformou-se numa espécie de maçonaria, uma central de cunhas, palavrinhas, cumplicidades e compadrios. É por isso que as amizades se fazem e desfazem como se fossem laços políticos ou comerciais. Se alguém «falta» ou «não corresponde», se não cumpre as obrigações contratuais, é logo condenado como «mau» amigo e sumariamente proscrito. Está tudo doido. Só uma miséria destas obriga a dizer o óbvio: os amigos são as pessoas de que nós gostamos e com quem estamos de vez em quando. Podemos nem sequer darmo-nos muito, ou bem, com elas. Ou gostar mais delas do que elas de nós. Não interessa. A amizade é um gosto egoísta, ou inevitabilidade, o caminho de um coração em roda-livre.

Os amigos têm de ser inúteis. Isto é, bastarem só por existir e, maravilhosamente, sobrarem-nos na alma só por quem e como são. O porquê, o onde e o quando não interessam. A amizade não tem ponto de partida, nem percurso, nem objectivo. É impossível lembrarmo-nos de como é que nos tornámos amigos de alguém ou pensarmos no futuro que vamos ter.
A glória da amizade é ser apenas presente. É por isso que dura para sempre; porque não contém expectativas nem planos nem ansiedade."

 

Os Amigos Nunca são para as Ocasiões, Miguel Esteves Cardoso.

Mais sobre mim

Pesquisar

 

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.