Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Jornada23

Uma portuguesa a viver em terras de sua Majestade desde 2014.

Jornada23

Uma portuguesa a viver em terras de sua Majestade desde 2014.

Agridoce

Passados quase 11 meses o estágio terminou.

Hoje gostei de sair do trabalho mas também me custou muito deixar esta rotina, muitas vezes louca. Sai a sorrir e confiante  nos passos que vou dar, mas medrosa pelas coisas que estão para vir e que não posso controlar. Custou. Custou deixar aquele clima, mas principalmente custou deixar a chefe porque sei que será difícil encontrar uma pessoa tão boa. Ela era extremamente humana, sensível, paciente, crítica e compreensiva, profissional, acessível, enfim, ela era a minha chefe, mas continua a ser isso tudo.

Os stresses vão deixar saudade, as conversas e desconversas tolas, a rotina que doía ao final da semana, o peso da carga horária, mas a alegria de uma nova jornada irá recompensar tudo isto!

É como disse, é agridoce.

Insólito #2

“O teu marido não te deve ter dado nada hoje”

 

136 pela manhã + manhã chuvosa + autocarros lotadíssimos + sardinhada de pessoas + atrasos + descontentamento + irritação = uma frase já usada porém inspiradora e utilizada no momento certo para colocar um autocarro todo a rir-se.

 

P.s. A senhora da qual o marido "lhe falhou" não deve ter gostado lá muito de ouvir. Quanto à "poeta", teve uns segundos de sucesso.

 

{#emotions_dlg.lisboa}

Dissertação & Eu

 

 

O caminho para a mudança de país está cada vez mais perto mas o caminho a percorrer até terminar uma quantas “coisinhas” está longe do fim. Uma delas, a dissertação.

Desde que decidi que a minha dissertação será feita toda em Inglaterra, inclusive acerca de uma realidade inglesa, tem sido complicado. Por um lado foi positivo pois torna o meu trabalho diferente por retratar a perspetiva de outro país, por outro torna mais difícil o acesso a informação enquanto cá estou. Só espero é que lá os técnicos e população que pretendo que seja a minha população alvo estejam disponível para colaborar!! Enquanto isso lá tenho eu que ir à biblioteca municipal buscar montes de livros (como antigamente, em que passados dois dias ia trocar porque tinha atingido o aluguer máximo) para começar a desenvolver a fundamentação teórica. Ai, ai…vida de estudante.

Pág. 1/2

Mais sobre mim

Pesquisar

 

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.