Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Jornada23

Jornada23

4 anos de Londres

london_quote_4.jpg

4 anos de ti Londres. 4 anos que por vezes parecem muitos mais anos nao so' pelo tempo que sinto ter perdido mas pelas pancadas que a vida me deu enquanto ca' estive. A vida e' assim nao e' verdade? Talvez se tivesse ficado em Portugal as pancadas seriam iguais, ou maiores, nao sei. A verdade e' que Londres tambem me deu muita coisa boa, deu a experiencia, a independencia, a liberdade para fazer coisas sem ninguem por detras a aconselhar (talvez por isso as coisas tenham corrido tao bem num sentido e noutros nem tao bem). Londres deu-me garra para lutar mas muitas vezes tirou-me a garra tambem. Neste pais tive que trabalhar para pagar a renda, e pouco mais. Quando o principe estava a part time foi um sufoco, quando eu fiquei desempregada outro sufoco foi. Um salario era para a renda - hoje em dia e'. Aconteceram coisas boas, viajamos um pouco, conhecemos boas pessoas e finalmente estou a trabalhar em algo que gosto. Aconteceram coisas menos boas, as saudades nao permitiram muita coisa, ver crescer criancas, acompanhar os idosos mais de perto e simplesmente estar presente para quem nunca nos falhou. Algumas vezes sinto isso...que falhei. A distancia da' cabo de nos..a tristeza por vezes e' imensa e por isso e' que cheguei a conclusao que este, por nosso querer, sera' o ultimo ano em Londres.  

 

 

Marraquexe

Marraquexe foi a cidade escolhida para começar a nossa jornada em Novembro de 2016, como já tinha referido optamos por uma acomodação bem no centro da Medina Riad La Perle de Marrakech

 

Fatores positivos :

- A diversidade, as cores, os cheiros no mercado.

- A hospitalidade , porque na maioria dos casos os marroquinos eram prestáveis e pessoas simpáticas

- O valor da moeda. A moeda vale pouco, claro que no final do dia olhamos e vemos que gastamos dinheiro tão desnecessariamente mas custa menos dar devido ao valor tão baixo.

- A duração. Apenas ficamos 3 dias em Marraquexe mas no nosso caso foi o melhor. Os dias foram passados numa constante de "cuidado, olha a mota agora, olha o carro , vamos em fila indiana, e cuidado com blablabla "a confusão das ruas para quem queria um pouco de sossego de uma Londres tão movimentada não foi encontrado.

 

Fatores menos bons:

- A confusão. No meio do mercado tínhamos motas, bicicletas, pessoas, enfim este vai e vem não nos deu descanso 

- Localização. Devo dizer que para quem vai para Marraquexe durante mais dias não devera ficar na Medina, demasiado caótico. 

- O turismo. A maneira como os turistas são vistos não me caiu bem. Para terem ideia houve um dia que perguntamos onde era um bar, a pessoa indicou o bar e este estava fechado e mesmo assim esticou a mão para pedir gorjeta. Sentimos que o turista e completamente sugado e absorvido naquele quotidiano tão próprio deles.

- O regatear. O regatear tem as suas coisas boas e mas. Para quando estamos num local tão pouco tempo regatear esgota-nos e consume muito tempo e entusiasmo. Conseguimos regatear muita coisa boa mas também todos os dias nos chateávamos a regatear táxis. Não acho que conseguia esta rotina durante um longo período.

 

Conclusão:

Marraquexe  na opinião de todos que foram, foi bom para a duração que foi. Soubemos aproveitar, aconteceu-nos contratempos tal como em qualquer viagem e vivemos a cidade ao nosso redor. 

Para finalizar a jornada finalizamos a celebrar os anos da conterrânea cantando os parabéns com um pão típico....! (O tuga desenrasca-se! )

 

20161106_095335.jpg

20161106_144800.jpg

 

20161106_151212.jpg

20161108_000924.jpg

 

 

 

Marrocos 2016

Novembro de 2016! Acabadinhos de fazer 1 ano de Marrocos - que saudades! 

Faz um ano que tivemos a ideia de ir de ferias com o nosso casal amigo português, a escolha do local estava mais do que difícil já que decidimos ir em Novembro e não queríamos propriamente sair de uma Londres fria para outra cidade todos encasacados e com chuva. A oferta não era muita e a incerteza da temperatura era ainda maior, o nosso problema prendia-se também com o dinheiro que estávamos dispostos a gastar e o tempo que iríamos la estar. Depois de muita conversa (mais das mulheres que dos homens) decidimos por Marrocos. Depois disso era apenas uma checklist infinita ate termos a certeza que tínhamos tudo preparado.

 

Qual cidade escolher?

A duvida persistia. Se por um lado ir a Marrocos e não ir a Marraquexe era um pouco perder a essência da coisa, ir a Marrocos e ficar a semana inteira perdidos entre mercados e a confusão diária também nos parecia demais. Acabamos por decidir: 3 noites em Marraquexe e 4 noites em Agadir. Por um lado teríamos o lado mais tradicional, os mercados, a população no seu modo de vida nu e cru e por outro teríamos as ferias de "resort", praia - piscina - praia. 

 

O que levar na mala de roupa?

Ui...este tema foi muito discutido, mais uma vez entre as mulheres. Os homens estavam bem servidos, uns calções, um par de calcas e mais coisa menos coisa, as mulheres, visto ser um pais muito mais conservador do que aquele onde vivemos teríamos que ter mais preocupação. O que procuramos nos por vestidos longos minha gente!!! Nada, nada de nada se encontrava por estas bandas e acabamos por nos decidir mais a usar calcas em Marraquexe e logo os calções e saias em Agadir onde estaríamos praticamente sempre no Hotel. 

 

Onde pernoitar?

Agadir foi uma decisão fácil e acabou por ser a decisão mais acertada em qualquer viagem que já realizei (o mesmo dizem os conterrâneos). Ficamos hospedados no hotel Iberostar Founty Beach um hotel de 4 estrelas com piscina interior e exterior e com uma entrada virada para a praia - um sonho! O serviço foi excelente, o staff do mais simpático e prestável possível, os quartos enormes e lindos e a comida variava bastante de dia para dia. 

Em Agadir tínhamos a opção de ficar dentro ou fora da Medina mas como só iríamos por 2 dias completos decidimos ficar o mais próximo possível do mercado para absorver a atmosfera. As mulheres pesquisaram imenso (acreditem que e complicado escolher um Riad que não pareça um tanto ou quanto duvidoso) e quando vimos o indicado em vez de reservarmos fomos pedir opiniao ao lado masculino...escusado será dizer que perdemos a vaga.. Acabamos por ficar hospedados no Riad La Perle de Marrakech. Um ambiente muito intimo, acolhedor, os quartos e a decoração típica e o staff muito familiar mas sentimos que a experiência podia ter sido melhor não fosse termos sido um pouco enganados, enfim cicatrizes de viajantes !! 

 

O que comer? 

Esta para ser sincera, foi a parte que aproveitamos menos no sentido de experimentar. Em Marraquexe nunca encontramos restaurantes muito apelativos, talvez por estarmos mesmo situados na Medina e apenas comemos uma refeição típica, cozinhada pela dona do Riad no nosso primeiro dia em Marrocos. De resto em Marraquexe fomos muito pelo seguro e em Agadir e que acabamos por experimentar um pouco de tudo com mais segurança, sabendo que os standards de higiene eram mais elevados. 

 

E os transportes?

Em poucos dias tivemos que usar: avião, táxi e autocarro. O avião usamos de Londres - Marraquexe (23£ pp) , Agadir - Londres (43£ pp), tudo através da Ryanair num voo que penso não ter durado mais do que 3 horas. De Marraquexe - Agadir usamos o autocarro que demorou 3 horas e meia mas passou a correr, com algumas paisagens lindas pelo caminho e pelo preço de cerca de 9£ por pessoa. Por ultimo, dentro das cidades e entre cidade aeroporto usamos os táxis que variavam muito o preço, muito conforme o que conseguimos regatear mas por norma conseguíamos viagens a cerca de 5/10£ a dividir pelos quatro. 

 

Irei ainda falar um pouco mais de cada cidade, mas para já fica o "curto" resumo 

(a usar teclado sem acentos!!!!)

 

bandeira-de-marrocos.jpeg

 

Quase

O dia está próximo e os últimos preparativos estão a ser feitos.

O pior deles: mala de viagem! Podem-me explicar como é possível meter em duas malas de viagem tudo aquilo de que irei precisar? Impossível!!! E eu lá vou choramingando e retirando coisas das malas aos bocadinhos...

 

 

1 mês - Londres!

{#emotions_dlg.happy}Falta 1 mês, apenas e exatamente 31 dias!

 

Nem quero acreditar que quando tivemos os bilhetes na mão ainda faltavam 123 dias (…número curioso, vendo bem)! O tempo passou a correr na maioria das vezes, e outras nem tanto porque a cabeça se perdia nos pensamentos com 2014, com a nova aventura. Mas hoje sinto que o entusiasmo é menor do que as preocupações. Nunca tive um grande espírito aventureiro quer dizer, adoro viajar, explorar novos locais e viver novas aventuras mas sabendo que iria regressar para a minha zona de conforto, foi por isso que esta decisão foi inesperada, tanto para quem me rodeia como para mim. Possivelmente já estaríamos em Londres desde 2012 mas quis ainda desenvolver alguns projetos por estas bandas, como o Mestrado. Não me arrependo, embora saiba que a esta altura já teria uma vida mais estabelecida por Londres, no entanto tive a apostar na minha formação e a desenvolver as minhas capacidades enquanto futura profissional. No final, foi a melhor opção, espero. Hoje sei que estou totalmente empenhada em aventurar-me por terras de sua majestade e sei que estou preparada (emocionalmente ainda devia preparar-me mais 1 ano ou 2 eheh) .

A 1 mês da partida começam as despedidas. A despedida daqui a 3 semanas e meia do trabalho. Um até Setembro às colegas de Mestrado e Professores, e um “Até Quando te apetecer vir visitar-me” ou “ Até Setembro” aos familiares e amigos mais próximos.

 

p.s. daqui a um mês o príncipe vai estar a arrastar malas!!!!!!

O bilhete

Planear uma viagem de férias para outro país já de si é complicado. Planear uma ida, sem volta prevista, para outro país...ui! É dose!

Hoje falo dos bilhetes, porque desde que os tive na mão é que me apercebi ainda mais da realidade – a nossa viagem estava cada vez mais perto e a data de partida era agora real.

Para começar queria ter a certeza que tínhamos sítio onde ficar, e só ai nos poderíamos preocupar em que dia partir. Além do mais também tínhamos de fazer alguns cálculos, porque quanto mais tempo ficarmos cá mais dinheiro conseguimos juntar para nos assegurarmos uns tempos por lá.

Assim que tivemos mais ou menos uma certeza de que chegando lá não iríamos ficar na rua (ainda por cima em pleno Inverno!), começou a pesquisa online. Primeiro andei por sites de busca rápida, como a www.skyscannet.pt e a www.edreams.pt, depois apercebi-me que não havia muito por onde escolher ao preço que queria nem para o destino que pretendia. Acabei por me reduzir a quatro opções: Ryanar, TAP, EasyJet e British Airways.

A Ryanar foi a primeira a ser excluída: só parte do Porto e de Faro, e nós saímos de Lisboa. Os preços dos transportes até uma destas cidades não compensam o cansaço e o stress que nos ia causar toda a viagem, para além do misto de sentimentos que ainda irão estar presentes nesse dia.

Em seguida, British Airways. Já ouvi falar muito desta companhia (por bons motivos) e até me parece ser segura, no entanto os preços praticados são altos (76€ mais encargos que dizem ser cerca de 50€). Com 4 meses de antecedência pensei ter sorte, mas nada.

Fiquei entre duas companhias: TAP e EasyJet.

Já voei nas duas: TAP para Londres e Roma, Easyjet para Londres. Gostei de ambas. Escusado será dizer que na TAP temos muito mais “mordomias” e facilidades em termos de bagagem (pelo menos lembro-me vagamente), no entanto nunca tive problemas com nenhuma das duas.

Olhei para os prós e contras (tudo online) e decidi: EasyJet. Porquê? Preço muito mais barato 47€ cada viagem + 30€ por cada bagagem de porão! Pareceu-me que o total até ficaria em conta.

Corri (no dia seguinte) para o balcão da EasyJet no Aeroporto de Lisboa, Terminal 2 (eu especifico o terminal 2 porque foi um castigo encontrar o balcão da easyjet…só quando me cansei de andar às voltas é que usei a boca para perguntar e, finalmente descobrir que o balcão deles ficava no terminal 2 e não 1…inteligente!!). Chegando lá basicamente queria saber quais as vantagens de comprar online que, resumidamente e pelo que entendi, o preço da bagagem de porão seria 17€ e claro está, a compra era feita de um modo mais cómodo.

Cheguei a casa, entrei no site da easyjet (queria poupar aqueles 13€ de bagagem) e PUM! É necessário cartão de crédito para realizar compras online no site da EasyJet… (por momentos fiquei triste pela TAP estar tão cara, eles aceitam multibanco!)! Após o choque inicial lá perguntei aos membros da família se tinham cartão de crédito – nada! No site ainda explicam mais a frente que aceitam débito, desde que seja VISA, MASTERCARD e outro que não me recordo. No entanto, nem assim consegui comprar… (acho que me perdi nestas mordenices…não sei bem quando, mas parece-me que sim!)

Conclusão? Segunda-feira peguei nas minhas perninhas (e rezei para que durante o fim de semana as viagens não aumentassem o preço por um motivo inexplicável e absurdo) e dirigi-me novamente ao aeroporto. Fui curta, já só queria ver aquilo despachado – “Bom dia, quero duas viagens para Londres na segunda semana de Janeiro, pode-me ver o preço mais barato?” “Luton ou Gatwick?”  “Gatwick se faz favor”. Em menos de 10 minutos tinha os bilhetes na mão e um sorriso gigante na cara– simples!

Conselho? Planear a viagem com muita antecedência!!!! Ver as modalidades de pagamento nos sites e quais as vantagens de comprar online, quando possível verificar mais do que uma companhia aérea, ver os prós e contras de cada viagem (se o preço já inclui bagagem, seguro, etc), qual o aeroporto, a distância entre ele e o nosso destino, as horas do voo entre outras caraterísticas que nos pareçam importantes, mas comparar sempre, comparar é o melhor conselho.

No final de tudo até fiquei satisfeita, cansei-me um pouco, andei às voltinhas mas no fim o preço foi razoável, o atendimento foi excelente (é de salientar) e conseguiram fazer-me sorrir (mas isto já se esperava com os bilhetes na mão!). Ah, é importante salientar que quando liguei para o príncipe não parava de dizer “Amor, amor!!! Eu tenho os bilhetes” – com uma pronúncia tal e qual como a de uma menina de 4 anos que recebeu o brinquedo da sua vida.

 

"Se realmente vale a pena fazer uma coisa, vale a pena fazê-la a todo o custo."
(Chesterton)

Mais sobre mim

foto do autor

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2015
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2014
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2013
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D