Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

jornada23

jornada23

Amizade, ou algo do género

Há dois dias recebi um email. Um email que me fez colocar os pensamentos de um modo diferente. Que me fez parar por segundos e ver que o carinho vem muitas vezes de quem menos esperamos.

 

Há dois dias recebi um email de uma antiga chefe,  a minha orientadora de um ano de estágio. Aquela que teci aqui comentários muito bons pela maneira como ela é, pessoalmente e profissionalmente. Durante todo o processo esta pessoa apoiou-me, deu-me tempo e espaço (mesmo a realizar estágio) para preparar a etapa nova da minha vida. Durante um ano passei 5 dias por semana, por vezes até 6, 8 horas e meia durante cada dia com ela. Quando tínhamos eventos à porta entrávamos mais cedo ou saíamos mais tarde. Chegámos a passar uma noite no Porto. Chegámos a cobrir eventos que começavam as 6 da manhã e a cobrir outros que acabavam à meia noite. Chegávamos a pegar em dois carros, ela ia tratar de um assunto ali e eu ia tratar de um assunto acolá. Era de loucos. E é por isso que a respeito tanto. Ela era (é) mãe, profissional e amiga.

 

Quando cheguei a Londres e, até então, se troquei 2 emails com ela foi muito. Sem telefonemas, sem mensagens ou comentários via facebook. Ela estava lá e eu cá. Não havia tempo ou havia esquecimento, é a desculpa mas a verdade.

 

Há dois dias recebi um email que dizia algo como "Vou a Londres dia X, quero tomar um café contigo (..)". Isto pode soar estranho mas desde que aqui estou que tanto familiares como pessoas amigas que cá vieram não me disseram isto ou nada parecido, alguns nem sequer um "estás viva?" durante este tempo todo que aqui permaneço e do nada, a minha antiga chefe, com quem não falo à imenso tempo, lembra-se de mim, de vir tomar um café comigo mesmo que a sua viagem seja só de um fim de semana com os filhos atrás. Dá-me para pensar que é por carinho, quem o faz é porque gosta, tal como ela o fez. Por mais que eu não lhe tenha dito nada durante este tempo todo e ela a mim eu sei o que ela representa, e ela sabe que era um prazer tê-la cá e poder aproveitar da companhia dela, nem que seja para um café. É aqui que reflito e concluo: 

 

positive-quotes-0.jpg

 

Gestos Perfeitos

 

Ultimamente tenho visto muitos gestos perfeitos. Digo gestos perfeitos, sintonias, sorrisos, dar e receber de igual modo, enfim gestos perfeitos e sinceros que nos dão um sorriso não só momentâneo como duradouro.

 

  • Sexta feira após ter saído do estágio fui meter-me no metro (à hora de ponta). Fui enlatada quase a viagem toda mas quando vi a oportunidade de me sentar, aproveitei. No momento em que me ia sentar vi um senhor já idoso a seguir no mesmo caminho, levantei-me e dei lugar ao senhor que me responde "Tenho 20 anos minha filha, não parece mas acredite que tenho!", eu insisti e sorri "sente-se lá! Tenho 20 aninhos, e você ri-se mas eu quero é fazer sorrir as pessoas, especialmente bonitas como você" - neste momento fiquei logo vermelha. Paragens à frente o senhor chegou-se perto do meu ouvido e disse-me " vou-lhe rogar uma praga, e espero que resulte. Uma praga de muita felicidade e saúde". Fez-me sorrir novamente e foi-se embora. Há pessoas assim.
  • No Sábado eu e o príncipe andámos por Lisboa. A caminho do aeroporto para comprar mais uma bagagem o príncipe, no metro, pega na minha mão e dá um beijo nela. Quando olho para o lado estava uma idosa, olhou para o gesto e sorriu. Escusado será dizer que o príncipe reparou mais na minha cara vermelha do que noutra coisa. Há pessoas como o príncipe, carinhosas,  e outras em que pelo simples olhar deitado à imagem vista nos fazem sentir que somos ainda mais acarinhadas do que pensámos.
  • Ontem estive com crianças de uma instituição. Gosto de crianças, de trabalhar com elas, de tentar procurar ou manter o equilibrio que muitas vezes é instável na vida delas. Estas fizeram-me sorrir com o seu sorriso, com o modo como pegavam na minha mão e pediam por atenção, pelo modo como se entusiasmavam e desfrutavam as diversões, cada pedacinho. No fim, quando o príncipe levava uma ao colo perguntou, referindo-se a mim "Tu também a levas ao colo?", ele respondeu que sim, ela rematou "E ela, também te pega ao colo a ti?".