Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

jornada23

jornada23

Hoje

É daqueles dias em que só me apetece das duas uma;: Andar a distribuir chapadas Sentar-me a um canto a chorar. ( tão mais eu! ) E eu sei, que tenho andado fugida deste mundo, a vida tem dado voltas boas, mas prometo que quando voltar volto mais presente !

Convertida

Assim, sem mais nem menos. Fui abordada na rua por um senhor a falar sobre o islamismo, fez algumas perguntas sobre a Bíblia, Jesus, Moisés e Mohamed e fazia-me chegar à conclusão que, por acreditar em determinadas coisas já era islâmica. Eu respeito muito cada religião, crenças, tais como nacionalidades e costumes de cada um, mas o modo como aquilo foi conduzido deixou-me incrédula. No final disse que era já era islâmica e que agora era começar a rezar (deu-me inclusive o Alcorão em inglês). Bom, está bem.

Terras de sua majestade

Ora que ontem voltei a fazer uma visita às urgências e, mais uma vez tive um episódio caricato. Enfermeira da triagem e eu Ela: boa tarde, qual a sua situação? Eu: tenho uma dor no meu rim ( e aponto para ele) Ela: desculpe mas o rim não é aí. Eu: o meu é ! Ela: quando começou a dor ? Eu: a dor começou pela manhã mas piorou ao início da tarde enquanto trabalhava. Ela: a dor era tão grande que até foi trabalhar, não é? ( com uma carga enorme de ironia) ora vá aqui fazer exames à urina para ver se está tudo bem, mas olhe que a sua cara não é nada de doente! Cara de doente? Adorei. Gosto sempre de pessoas que me fazem ter um misto de surpresa/indignação. No final não era o rim mas sim o apêndice que apresentou um inchaço.

No tempo

Em que cantava, fazia teatro e dançava de forma Amadora. Em que dava aqueles passeios sem destino pela minha cidade mas que, iam sempre dar aos mesmos sítios. Em que uma ida à praia era uma viagem logo matinal nos autocarros. Em que dias sem aulas ou tardes sem aulas eram sinónimo de cinema em casa. Em que diziam que eu daqui a 10 anos estaria casada, já com filho (s), uma mãe, dona de casa e profissional. No tempo em que não fazia ideia do que o futuro me reservava.

No way!

Eu admito, vá! Pegar no telemóvel para tentar descobrir qual o nome da música que estás a ouvir e, de duas vezes, te dar o mesmo cantor é coisa bonita, especialmente este cantor....Não acredito que o raio do rapaz agora está presente na minha playlist.

 

 

 

 

Terror(ismo) - Pensamentos, Receios e Simulações

Estes últimos dias têm dado comigo em doida. Abro páginas de internet e só vejo notícias sobre o mesmo assunto, facebook idem aspas e todos os outros sites. Por mais que queiras respirar fundo, imaginar que não vives neste planeta e que nada destas barbaridades se estão a passar, não consegues. Ando na rua, entro em lojas, entro nos transportes...afinal o perigo pode estar em qualquer esquina, mas irei viver com medo? Como sabem vivo em Londres, a cidade que é sempre apontada como alvo de próximos atentados terroristas. Desde que aqui estou nada aconteceu, já imaginei muitas coisas (principalmente por antes trabalhar no centro de Londres, onde o fluxo de turistas e trabalhadores é elevadíssimo), já li ameaças a específicas companhias aéreas dias antes de viajar, enfim. Eu não quero viver do medo e com medo, mas é inevitável não pensares que pode acontecer a qualquer momento, em qualquer lugar. 

Ainda hoje, acabados de fechar a loja e apenas a fazer o fecho o Manager (sem nosso conhecimento) fez a simulação de evacuação em casos de emergência (pretendia saber o nosso tempo de reação e se tínhamos conhecimento de todos os comportamentos a ter), no final fez um discurso sobre a ameaça terrorista no país e como estaríamos que estar preparados para alertar/reconhecer e agir perante uma situação destas...Não quero pensar, mas temos que reconhecer que esta é a realidade.

 

 

84.

Feliz aniversário avô! ! Que possas estar presente nas nossas vidas por muitos mais anos!

Chorar o terror e festejar a alegria.

É controverso. Mas no mesmo dia que sofremos pelo terror da violência e das mortes em França eu também sinto a alegria de ser novamente prima, festejo um nascimento. É tão assustador viver neste mundo de opostos.

Pág. 1/2