Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

jornada23

jornada23

Trabalhar na minha empresa é

Como sempre uma coisa "engraçada" e uma novidade todos os dias.

Estas duas semanas foram repletas de pessoas motivadas que preferiram ficar em casa "doentes" ou simplesmente não avisar que não iam trabalhar, diz-se que poderá ter sido efeitos secundários do Carnaval de Nothing Hill. Entretanto, eu cá me tenho arranjado para não responder de forma torta ao meu Team Leader 1 que adora ser o exemplo de pessoa em palavras mas em atos, está quieto!

Ontem aconteceu uma coisa que nunca tinha acontecido na minha loja. Polícias lá, não é novidade. Clientes a ameaçar, não é novidade. Mas clientes a trazer a polícia, foi a primeira vez.

Resumidamente um grupo de miúdas (entre 11 e 12 anos) entraram na loja e como pareciam já mulherzinhas (tudo contado, não as vi), houve quem decidisse - o segurança -  falar demais e de forma imprópria com elas. Azar dele a professora estava no grupinho, uma senhora que parecia tão jovem quanto as alunas. O barraco começou, gritos da professora a dizer que o segurança era nojento e indecente, que eram menores e que ia chamar a polícia. Até aqui tudo bem, já aconteceu isto muitas vezes, mas a polícia nunca antes veio pela mão de um cliente. Passados cerca de 10 minutos a polícia chega, conversa nem dois minutos com o segurança e algemam-no logo ali à frente de todo o staff e clientes. Foi um choque. O segurança quase que chorava a dizer que não lhes tinha tocado e nem dito nada de mal, mas fatos são fatos. O que aconteceu depois foi Karma. Para averiguar a situação a polícia foi ver as câmaras de vigilâncias e para espanto viu um dos meus team leaders a tocar numa das miúdas......é de salientar que nesse preciso momento já o team leader tinha-se esgueirado à muito da loja.

O segurança foi despedido e eu espero que o meu Team Leader 2 leve uma boa lição, muito pelo que já tem feito a determinados clientes sem ter tido a devida consequência dos atos praticados =)

 

 

Portugal








Há dias em que é muito difícil isto de viver num país diferente. Há dias em que se acumula a nossa necessidade de perguntar inúmeras vezes "Estás a fazer o correto?" "É isto que queres para ti?" "Será que vale a pena?". Talvez por ser o início, talvez e somente seja esse o motivo de muitas vezes as saudades apertarem tanto que através de um simples telefonema, ou fotografia dá vontade de pegar em tudo e ir embora, mas depois cais na realidade...e tudo o que já tens aqui? Deixas para lá? Enfim.

Esta é a segunda vez que vou a Portugal. A primeira foi uma surpresa, só o meu irmão sabia!!! Fiz de propósito para ir a Portugal nos anos do meu pai, fiz uma surpresa e eles (principalmente a minha mãe) ficaram chocados quando me viram. Também adorei chocar o meu pai, e Siz, e igualmente os meus avós eheh. A segunda vez será planeada e ficarei mais tempo por lá, para ver se é desta que volto para Inlgaterra sem vontade de voltar para Portugal tão cedo.

Quem pensa que é fácil, desengane-se. Só de pensar em coisas simples como acordar com o meu cão no quarto, ir a casa dos meus avós aos fins de semana, chatear os meus pais por coisas insignificantes, ouvir o meu tio sempre a meter-se comigo, primos a chatear, a melhor amiga a viver tão perto, o boguinhas a dar problemas, as feiras, a praia, os cheiros, oh meu deus! Por hoje já chega que a minha fase sensível ainda não passou =') 

Londres é

ter tido, no mês de Julho (desatualizada eu sei), todos os domingos, a Regent Street fechada ao trânsito.

No início achei aquilo imperdoável! Eu, a ter que andar a pé de Oxford Street a Picadilly forçada? Não é coisa que já não tenha feito mil e uma vezes, mas forçada é diferente, principalmente quando se está atrasada. No entanto, e como aqui tudo tem o seu lado bom, tentei aproveitar estas minhas caminhadas.

 

1. Fiz amigos, e fiz questão de tocar neles os quatro domingos do mês

2. Comi à borla

3. Dei e recebi cotoveladas

4. "chorei", porque as filas para o produto à borla mais esperado do mês eram enormes!

 

 

 

 

 

 

E é isto, Londres.

Trabalhar na minha empresa é

A loja onde trabalho, como já se viu aqui em posts colocados, deixa-me maluca! É um sítio onde podes começar a perceber até que ponto és tolerante para com o outro. De vez em quando tem as suas coisas boas, mas na maioria não.

 

Trabalhar na minha empresa é:

 

  • Ter colegas do Uzbequistão, Mongólia, Itália, Portugal, Índia, Afeganistão, Paquistão, Espanha, Alemanha, Chile, Holanda e Polónia. (Penso que a lista está completa....)
  • Não ter microondas nem frigorífico à disposição e, quando tenho....comida de 2/3 dias lá dentro a criar cheirinho.
  • Ter que ter um aviso a dizer "Por favor, não comer a comida dos outros trabalhadores" (isto é o do mais comum que lá há!)
  • É tentar respeitar o Ramadão, horas de reza e rituais
  • Mas ficar louca por ver pessoas a lavar os pés no lavatório da cozinha....
  • Ter marcas de guerra: já fiquei com um pé inchado, duas queimaduras no braço, já fiquei com um "galo" na cabeça porque o braço de um manequim veio-me parar à cabeça, já ia morrendo engasgada na cozinha (pânico!) e por último, já estive a centímetros de levar com uma navalha na cara.
  • Ter dito adeus com uma lágrima no canto do olho às minhas Italianas.
  • Todos os dias ter esperança que o telemóvel toque com outra proposta aliciante de trabalho!

 

 

Eu prometi...





Mas a internet falhou! E voltou a falhar por mais de uma semana...isto é um absurdo aqui em Londres, ok...talvez só no meu prédio. Não houve um único mês em que tivemos internet todos os dias, nunca!  Superada esta fase, retomo a minha escrita ao blog.


Hoje para minha surpresa recebo o meu recibo de ordenado, não é que o meu Manager tinha dito que me iam aumentar e é verdade!! Mas...desculpem? 50 cêntimos? Não sei se prefiro rir ou chorar, é que vai na volta pago mais de imposto e recebo praticamente o mesmo por mês!


Amanhã vem mais, que eu estou cheia de assuntos para desabafar aqui!