Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Jornada23

Jornada23

Agridoce

Passados quase 11 meses o estágio terminou.

Hoje gostei de sair do trabalho mas também me custou muito deixar esta rotina, muitas vezes louca. Sai a sorrir e confiante  nos passos que vou dar, mas medrosa pelas coisas que estão para vir e que não posso controlar. Custou. Custou deixar aquele clima, mas principalmente custou deixar a chefe porque sei que será difícil encontrar uma pessoa tão boa. Ela era extremamente humana, sensível, paciente, crítica e compreensiva, profissional, acessível, enfim, ela era a minha chefe, mas continua a ser isso tudo.

Os stresses vão deixar saudade, as conversas e desconversas tolas, a rotina que doía ao final da semana, o peso da carga horária, mas a alegria de uma nova jornada irá recompensar tudo isto!

É como disse, é agridoce.

Insólito #2

“O teu marido não te deve ter dado nada hoje”

 

136 pela manhã + manhã chuvosa + autocarros lotadíssimos + sardinhada de pessoas + atrasos + descontentamento + irritação = uma frase já usada porém inspiradora e utilizada no momento certo para colocar um autocarro todo a rir-se.

 

P.s. A senhora da qual o marido "lhe falhou" não deve ter gostado lá muito de ouvir. Quanto à "poeta", teve uns segundos de sucesso.

 

{#emotions_dlg.lisboa}

Dissertação & Eu

 

 

O caminho para a mudança de país está cada vez mais perto mas o caminho a percorrer até terminar uma quantas “coisinhas” está longe do fim. Uma delas, a dissertação.

Desde que decidi que a minha dissertação será feita toda em Inglaterra, inclusive acerca de uma realidade inglesa, tem sido complicado. Por um lado foi positivo pois torna o meu trabalho diferente por retratar a perspetiva de outro país, por outro torna mais difícil o acesso a informação enquanto cá estou. Só espero é que lá os técnicos e população que pretendo que seja a minha população alvo estejam disponível para colaborar!! Enquanto isso lá tenho eu que ir à biblioteca municipal buscar montes de livros (como antigamente, em que passados dois dias ia trocar porque tinha atingido o aluguer máximo) para começar a desenvolver a fundamentação teórica. Ai, ai…vida de estudante.

1 mês - Londres!

{#emotions_dlg.happy}Falta 1 mês, apenas e exatamente 31 dias!

 

Nem quero acreditar que quando tivemos os bilhetes na mão ainda faltavam 123 dias (…número curioso, vendo bem)! O tempo passou a correr na maioria das vezes, e outras nem tanto porque a cabeça se perdia nos pensamentos com 2014, com a nova aventura. Mas hoje sinto que o entusiasmo é menor do que as preocupações. Nunca tive um grande espírito aventureiro quer dizer, adoro viajar, explorar novos locais e viver novas aventuras mas sabendo que iria regressar para a minha zona de conforto, foi por isso que esta decisão foi inesperada, tanto para quem me rodeia como para mim. Possivelmente já estaríamos em Londres desde 2012 mas quis ainda desenvolver alguns projetos por estas bandas, como o Mestrado. Não me arrependo, embora saiba que a esta altura já teria uma vida mais estabelecida por Londres, no entanto tive a apostar na minha formação e a desenvolver as minhas capacidades enquanto futura profissional. No final, foi a melhor opção, espero. Hoje sei que estou totalmente empenhada em aventurar-me por terras de sua majestade e sei que estou preparada (emocionalmente ainda devia preparar-me mais 1 ano ou 2 eheh) .

A 1 mês da partida começam as despedidas. A despedida daqui a 3 semanas e meia do trabalho. Um até Setembro às colegas de Mestrado e Professores, e um “Até Quando te apetecer vir visitar-me” ou “ Até Setembro” aos familiares e amigos mais próximos.

 

p.s. daqui a um mês o príncipe vai estar a arrastar malas!!!!!!

Gestos Perfeitos

 

Ultimamente tenho visto muitos gestos perfeitos. Digo gestos perfeitos, sintonias, sorrisos, dar e receber de igual modo, enfim gestos perfeitos e sinceros que nos dão um sorriso não só momentâneo como duradouro.

 

  • Sexta feira após ter saído do estágio fui meter-me no metro (à hora de ponta). Fui enlatada quase a viagem toda mas quando vi a oportunidade de me sentar, aproveitei. No momento em que me ia sentar vi um senhor já idoso a seguir no mesmo caminho, levantei-me e dei lugar ao senhor que me responde "Tenho 20 anos minha filha, não parece mas acredite que tenho!", eu insisti e sorri "sente-se lá! Tenho 20 aninhos, e você ri-se mas eu quero é fazer sorrir as pessoas, especialmente bonitas como você" - neste momento fiquei logo vermelha. Paragens à frente o senhor chegou-se perto do meu ouvido e disse-me " vou-lhe rogar uma praga, e espero que resulte. Uma praga de muita felicidade e saúde". Fez-me sorrir novamente e foi-se embora. Há pessoas assim.
  • No Sábado eu e o príncipe andámos por Lisboa. A caminho do aeroporto para comprar mais uma bagagem o príncipe, no metro, pega na minha mão e dá um beijo nela. Quando olho para o lado estava uma idosa, olhou para o gesto e sorriu. Escusado será dizer que o príncipe reparou mais na minha cara vermelha do que noutra coisa. Há pessoas como o príncipe, carinhosas,  e outras em que pelo simples olhar deitado à imagem vista nos fazem sentir que somos ainda mais acarinhadas do que pensámos.
  • Ontem estive com crianças de uma instituição. Gosto de crianças, de trabalhar com elas, de tentar procurar ou manter o equilibrio que muitas vezes é instável na vida delas. Estas fizeram-me sorrir com o seu sorriso, com o modo como pegavam na minha mão e pediam por atenção, pelo modo como se entusiasmavam e desfrutavam as diversões, cada pedacinho. No fim, quando o príncipe levava uma ao colo perguntou, referindo-se a mim "Tu também a levas ao colo?", ele respondeu que sim, ela rematou "E ela, também te pega ao colo a ti?".

Feira Popular

Dia 1 eu e o príncipe dedicámos o dia a nós. Fomos dar umas voltinhas (a maioria para agradar a menina eheh) mas foi bom, como sempre é. Para além de ser um domingo era também um dia especial para nós, tal como todos os dias 1 de cada mês.

No final da tarde, pelas 19h resolvemos ir à Feira Popular. Em tempos ainda cheguei a ir à antiga Feira Popular, mas era tão nova que raras foram as memórias que ficaram.

Primeiro ponto positivo da Feira, parque de estacionamento gratuito! Muito bom! Segundo ponto positivo, não estava a abarrotar de pessoal. Primeiro ponto negativo, poucas diversões e ainda menos destinadas a adultos. No fundo, a Feira não está nada por aí além.

Eu e o príncipe, decidimos andar em três diversões: A Roda “Gigante” (ainda gritei porque cada cabine roda se quisermos, e claro que o príncipe fez com que aquilo rodasse bastante!), o Touro (eh….vá quando aquilo andou de costas até me causou impressão, mas coisa miudinha) & uma diversão com carros presos que ganhavam uma velocidade engraçada nas curvas que, sem sombra de dúvida foi o melhor.

No final não importou muito que as diversões não estivessem no seu melhor, mas sim que nos divertimos a ser um pouco crianças e a fazer aquelas palhaçadas tão nossas.

 

Para quem ainda não visitou a feira deste ano, experimente. Não é que vá perder grande coisa se não visitar, mas sempre dá para passar lá uma horinha entretido e, pode ser que mais perto do Natal a diversão e afluência seja maior.

 

{#emotions_dlg.painatal}

Mais sobre mim

foto do autor

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D